Seguros.inf.br

Mercado

Moody´s: mais receita e rentabilidade estável

mercado

10/08/2018

Estamos alterando a perspectiva para a indústria de seguros brasileira para os próximos 12 a 18 meses para estável de negativa, uma vez que esperamos um aumento no volume de prêmios e rentabilidade estável na esteira de uma melhor disciplina de subscrição apesar do crescimento econômico lento, afirma a Moody´s Investors Service.


“Embora o atual ambiente econômico no Brasil limite as perspectivas de crescimento para as seguradoras, o setor, de um modo geral, tem crescido a um ritmo mais rápido que o da economia”, afirma o vice-presidente da Moody´s Diego Kashiwakura, acrescentando que a baixa penetração do mercado de seguros significa que o setor tem espaço para crescer assim que as condições macroeconômicas, tais como os níveis de emprego, melhorarem.

A Moody’s espera que as seguradoras brasileiras foquem cada vez mais em diligência dos processos de subscrição para mitigar os efeitos da redução dos resultados financeiros. “Com as taxas de juros reduzidas, esperamos que as seguradoras concentrem-se nos resultados de subscrição, fortalecendo políticas e controles e diminuindo as despesas com subscrição para sustentar os retornos sobre o capital”, de acordo com Kashiwakura.

O setor também pode se beneficiar do debate vigente no país sobre a reforma da previdência, que custa mais de 10% do PIB do Brasil. A implementação de uma reforma criaria novas oportunidades de crescimento para a indústria de seguros, já que os pensionistas teriam de buscar produtos de vida e previdência para complementar ou substituir benefícios futuros menores. A recente criação do vida universal, um produto com características flexíveis que combina elementos de proteção e poupança, é outra fonte de potenciais oportunidades de crescimento para a indústria de seguros.

Enquanto isso, como a maior parte dos investimentos do setor está concentrada em títulos de dívida do governo do Brasil, a qualidade geral dos ativos para as seguradoras é de certa forma limitada, bem como a diversificação de portfólio. Isto também significa que uma elevação/rebaixamento do rating soberano do Brasil (Ba2, estável) impacta diretamente as seguradoras do país.


Fonte: revista Cobertura




« Voltar

Ver todos

Seguros.inf.br © 2011 - 2018 - Sacla Comunicação Ltda - Todos os direitos reservados.